Arquivo da categoria: Forragem

USO DE ADITIVOS NAS PRINCIPAIS CULTURAS ENSILADAS VISANDO A OFERTA DE ALIMENTOS COM MELHORES QUALIDADES NUTRICIONAIS (PARTE 2)

Pedro Felipe Martins da Silva UFLA-3rlab

Dentre os inúmeros alimentos utilizados para se fazer a ensilagem se destacam atualmente no Brasil o milho, sorgo, cana de açúcar e capins tropicais e temperados. A seguir segue algumas recomendações de aditivos para as principais forrageiras utilizadas como silagem.

  • Milho

É a forrageira mais utilizada para o processo de ensilagem atualmente, apresenta ótimos teores de carboidrato, baixa poder tampão e deve ser colhida com teores de matéria seca (MS) entre 35% e 40%s. Geralmente a bactéria mais utilizada é a lactobacillus plantarum com o intuito de aumentar a concentração de ácido lático e as bactérias heterofermentativas onde a mais utilizada e a lactobacillus buchneri , que tem por finalidade elevar a estabilidade aeróbica da silagem. De maneira geral recomendam-se avanços diários nos silos de no mínimo 15 cm, assim também como uma boa vedação a fim de evitar a deterioração.

  • Sorgo

É a forrageira mais indicada para as regiões em que há grande problema relacionado a veranicos prolongados e também indicado para produtores que tem baixa capacidade em adubar a área destinada a produção. Apresenta alta produção de massa verde (40 a 50 toneladas de massa verde por hectare) e bom perfil fermentativo.

  • Cana de açúcar

 O uso de aditivos ou inoculantes para silagens de cana é de caráter obrigatório, devido a presença da grande população epifítica de leveduras que são grandes responsáveis pelas fermentações alcoólicas que resulta em baixo consumo por parte dos animais. O uso de inoculantes a base de bactérias heterofermentativas tem apresentados bons resultados principalmente quando a inoculação é feita com a lactobacillus buchneri, conferindo menores teores de etanol na silagem e menos perda de matéria seca. Também é observado na pratica que o uso de ureia no processo de ensilagem tem mostrados bons resultados, principalmente associado ao maior teor de proteína bruta e diminuição na população de leveduras.

  • Capins tropicais e de clima temperado

No intuito de melhorar o perfil fermentativo da silagem advinda desses materiais é necessário quando possível realizar a pré-secagem (figura 1) em campo dos capins recém-cortados ou adicionar no momento da ensilagem materiais que funcionam como sequestradores de umidade como, por exemplo, a polpa cítrica, farelos em geral e subprodutos da indústria de mandioca, maracujá, etc. Esses aditivos terão a finalidade de aumentar os teores de matéria seca, melhorar a digestibilidade da silagem através da redução dos teores de fibra.

PEDRO_NOVO_1

Figura 1- Corte e pré-secagem de capim-elefante.

  • Cuidados na aplicação de aditivos

 Para que os aditivos possam proporcionar bons resultados é necessário que se leve em consideração alguns aspectos. Quando se tem por finalidade trabalhar com inoculantes microbianos é de vital importância a utilização de água de boa qualidade com ausência de cloro (propriedade antimicrobiana do produto), abrigar os inoculantes em local fresco e na ausência de luz.

Observa-se que há grande interesse por parte dos produtores em utilizar aditivos nas silagens produzidas na propriedade, no entanto o uso deve seguir alguns critérios, como por exemplo a espécie forrageira que se está utilizando, a condição da forragem no momento da ensilagem, preço dos aditivos e a metodologia de utilização. Após o julgamento desses fatores e constatada a real necessidade da aplicação dos mesmos, deve-se proceder aplicação dos mesmos.

USO DE ADITIVOS NAS PRINCIPAIS CULTURAS ENSILADAS VISANDO A OFERTA DE ALIMENTOS COM MELHORES QUALIDADES NUTRICIONAIS (PARTE 1)

Pedro Felipe Martins da Silva UFLA-3rlab

Sabe-se que a alimentação direta a pasto é a forma mais barata de alimentação, no entanto as variações das condições climáticas afetam diretamente o processo de formação de forragem, tornando assim difícil manejo do pasto em função da oferta de forragem e da demanda por parte dos animais. De acordo com dados de pesquisa aproximadamente 80% do total de forragem produzida durante o ano é produzida durante o verão (estação chuvosa) e 20% é produzida durante o inverno agrostológico (época mais fria e seca do ano), de acordo com essa constatação fica evidente que é necessário adotarem práticas que visam a constante oferta de volumoso a fim de garantir a produção constante durante o ano todo.

A prática da ensilagem visa garantir a oferta constante de forragem durante o ano todo ou somente durante o período seco do ano, na grande maioria dos casos a forragem a ser colhida é produzida no verão. Com aperfeiçoamento da técnica com o decorrer do tempo, impulsionou-se o uso de aditivos aplicados nas silagens, no entanto percebe-se por parte de técnicos e produtores que existem dificuldades em estabelecer um critério de aplicação dos inoculantes. Pretende-se com esse estudo auxiliar produtores e técnicos nas tomadas de decisões em relação ao uso de aditivos, procurando dessa forma caracteriza-los e indicar em qual situação os mesmos devem ser utilizados.

Aditivos podem ser entendidos como produtos que são aplicados no processo de ensilagem, tais produtos podem vim a influenciar no processo fermentativo favorecendo dessa forma a conservação do valor nutritivo da forragem colhida, proporcionando menos perdas superficiais pelo contanto com oxigênio atmosférico no momento em que se abre o silo para ofertar o material aos animais e aumentando o valor nutritivo de certas forrageiras pobres em determinados nutrientes.

De maneira geral os aditivos podem ser classificados em aditivos químicos, microbianos e sequestradores de umidade. Cada classe de aditivos apresenta características distintas que devem ser levadas em consideração no momento de uso para que o mesmo consiga atender todas as expectativas quanto a sua utilização.

Os aditivos químicos são classificados em alcalinizantes, os aditivos de nutrientes e os aditivos conservantes. Dentre os alcalinizantes os inoculantes mais comuns são os hidróxidos de sódio, hidróxido de amônio, hidróxido de cálcio, carbonato de cálcio e oxido de cálcio que são muito utilizados em silagens de cana de açúcar para evitar a fermentação alcoólica, diminuindo assim os gastos em relação ao preço da tonelada de matéria verde produzida em relação às silagens que não receberam nenhum tipo de aditivo (gráfico 1).

PEDRO_TABELA_ART_1

Gráfico 1- Gráfico comparando o custo de produção das silagens sem aditivos e com diferentes aditivos.

Já os inoculantes microbianos são os que apresentam maior quantidade de produtos indicados para a inoculação junto a silagem. De maneira geral esses inoculantes são agrupados em dois grupos, os que contem bactérias homofermentativas e os que contém as bactérias heterofermentativas. As bactérias homofermentativas são responsáveis pela rápida queda do pH e aumento da concentração de ácido lático que é grande responsável pela conservação dos alimentos, muito indicados para silagens de forrageiras que apresentam alto poder tampão (geralmente capins tropicais). Já bactérias heterofermentativas são responsáveis por elevar a estabilidade da silagem em condições de aerobiose, garantindo assim maior conservação do valor nutritivo da silagem.

Os aditivos caracterizados como sequestradores de umidade são de vital importância quando e necessário trabalhar com forrageias com alto teor de umidade (acima de 40%), essa situação e muito comum em silagens de capins tropicais e de capins de clima temperados, o excesso de umidade na massa de forragem produz chorume em excesso que pode vir a comprometer o valor nutricional da mesma. Os inoculantes mais usados como sequestradores de umidade são: milho desintegrado, resíduo de colheita de soja e mandioca desidrata, porém cabe ao produtor ou técnico verificar a disponibilidade regional de materiais que possam cumprir essa função.